sábado, 30 de Julho de 2011

Harry Potter e os Talismãs da Morte parte 2

Eu sou uma desnaturada e só fui ver o 1º filme do Harry Potter ao cinema. Todos os outros vi em casa. Mas o último teria, obrigatoriamente, que ir ver ao cinema! Nem que fosse a uma sessão estapafúrdia! Nem que fossem em 3D!!! E graças a Deus que ainda há cinemas (... el corte inglés...) que ainda passam filmes a 2D mesmo com toda esta loucura do 3d (que eu odeio, que me faz doer a cabeça, e que me faz ouvir os filmes sem olhar sequer para o ecrã gigante).



Eu fui daquelas pessoas que só descobriu o Harry Potter, depois de ter visto o filme. Praticamente, foi sair da sala e ir comprar o livro. E ir comprar o 2º. E o 3º e o 4º e o 5º... ficar em agonia até sair o 6º e ler o livro da minha colega M., que tal como eu não conseguia esperar meses pela versão traduzida e comprou em inglês. E acontecer-me o mesmo quando saiu o 7º e simplesmente comprar a versão inglesa e devorar da 1ª à última linha... A J.K. Rowling é uma escritora fenomenal, que nos consegue prender na sua teia e quando damos pelo facto de que existe um mundo fora daquelas páginas, à nossa espera, já o livro acabou e já o desespero se forma na nossa mente... "E agora?? E agora??? O que acontece?!?!? Quando saí o próximo livro???NÃO!!!!!!!!" Mas, digamos a verdade... os livros são assim fantásticos e viciantes, porque ela os começou a escrever em terras lusas! Se o tivesse imaginado no UK de certeza que saía dali uma coisa sem graça! Agora o Harry é do Puerto carago!!! É por isso que ninguém se mete com ele!



Mas chegou a hora da despedida e há coisa de 2 semanas atrás, juntei a minha companheira destes assuntos mágicos e vimos, em casa, Os Talismãs da Morte parte 1, para relembrar o que aconteceu e para termos o fio condutor mais próximo da memória...



A 2ª parte é emocionante. É o grande confronto de titãs. A hora da justiça final! Faz-nos rir, faz-nos recear, faz-nos dizer: óoooooh e faz-nos choramingar... (em especial, a parte da trama sobre o Snape. Umas das minhas personagens preferidas e que mais me custou perder... I LOVE YOU SNAPE!!!).



A fotografia do nosso Eduardo Serra (PORTUGAL!PORTUGAL!PORTUGAL!!!) é simplesmente de tirar o fôlego. Capaz de apelar ao nosso lado mais tenebroso e dramático. Não é por nada que ele é um dos melhores da sua área, e que já foi nomeado para Óscar.



A parte do filme mais estúpida, parva, mal-feita, com caracterização mesmo muito pobrezinha e ao nível de um filme rasca de 1960 foi mesmo o final. O que é triste. Fizeram tudo bem, até aos minutos finais... O que é aquilo meu Deus?! A sala desatava a rir, sempre que aparecia a Ginny... meu Deus, pobre rapariga...



Adeus Harry... you shall be missed!

A rapariga que sonhava com uma lata de gasolina e um fósforo


Atenção, não sou eu! É o regresso da minha Lisbeth.




Tenho tido pouco tempo para ler, e esta coisa dos turnos rotativos vai-nos queimando o miolo, mas depois de para aí 2 meses, lá peguei novamente no livro para não mais largar. E depois não ajuda o facto de me pôr a ler o Murakami ao mesmo tempo (o Underground é arrepiante! em especial, se tivermos em conta todos estes últimos acontecimentos... qualquer dia sou agorafóbica...).



Mas, tal como o volume anterior, este continua a seguir a história da Lisbeth (que é sem dúvida uma das personagens femininas mais fantásticas de sempre) de um modo tenebroso, mas ao mesmo tempo viciante e que nos põe sempre a soluçar por mais... Assim que acabei este livro, tive que ir buscar o 3º da saga. Não aguentei não saber o que poderia acontecer (apesar de já ter visto os filmes... é verdade! Mas a verdade é que normalmente há sempre coisas diferentes - por exemplo o médico do 3º filme é um borrachinho que se sente atraído pela Lisbeth e no 3º livro o médico tem 50 e poucos anos...).



Na verdade, agora, após perceber melhor o porquê de certas coisas que acontecem nos filmes, ainda tenho mais vontade de os rever! Como o F. não gosta muito de ler, não percebe o porquê de eu querer ler livros de filmes que já vi, assim como o oposto... Mas a mim, dá-me ainda mais gozo ver se fazem como eu imaginei, ou se o filme foi uma boa adaptação do livro. Até agora, esta saga, complementa-se maravilhosamente. E se os filmes me fizeram ir à procura dos livros, estes últimos vão com toda a certeza, fazer-me rever os filmes e a grande Noomi Rapace que é uma Lisbeth simplesmente maravilhosa.


quarta-feira, 27 de Julho de 2011

Ok...

Sabem aquelas tatuagens parvas, que todos nós já vimos? Arame farpado (ui que perigoso\a que eu sou); rapazes com tatuagens de luas\golfinhos muito fofinha(o)s nas pernas (estariam bêbados??), mas há pouco tempo vi uma que ficou já no Top...



Imaginem que se chamam Francisco. Querem fazer uma tatuagem. E o que fazem? Uma tatto a dizer: Francisco.


Não, não é com caracteres chineses\árabes\japoneses... no bom alfabeto ocidental... simplesmente: Francisco.


A minha pergunta é: será que esta pessoa se esquecia do nome? Assim do género, numa repartição das finanças o funcionário público olha para ele com aquele olhar doce que os caracteriza, diz numa voz doce como mel: "NOME?!" e o moço fica atrapalhado, não se lembra do nome... olha para o braço e EUREKA! "Chamo-me Francisco..."

terça-feira, 12 de Julho de 2011

L.O.V.E. parte II

E não é que o fofucho do moçoilo tinha razão? Ontem lá fui eu experimentar o S do vestido, sempre a imaginar que nem me passaria pelos ombros e TARAN! Não só serviu como até parece largucho... Ai Lion of Porches, Lion of Porches... marca que se faz passar por londrina apesar de ser de Guimarães... I LOVE YOU!!


Agora vem a pior parte... encontrar sapatos. Como ando numa onda em que tento ao máximo comprar só o que é português, queria ir à Zillian ao El Corte Inglés e à Fly London na Av.Liberdade... o pior é encontrar uns que eu goste e que não me falam ficar com bolhas ao fim de 5m.



Já agora, que pancada é esta das marcas portuguesas quererem ter sempre LONDON no nome, slogan ou imagem?? UHMM??? Lion of Porches * London; Fly London.... raios os partam!!! Tenham algum patriotismo dass

terça-feira, 5 de Julho de 2011

L.O.V.E.

Ontem ao perguntar na Lion of Porches se tinham um modelo do vestido em exposição que eu pudesse experimentar, o rapaz respondeu: "Ah não...é que o seu tamanho deve ser o S e nós de momento só temos o L e o XL"



EU AMO VOCÊ!!!! - foi a minha resposta telepática enquanto sorria feito psicopata para o rapaz e para o meu namorado